sexta-feira, 9 de novembro de 2012

"FAZER COM" É SEMPRE MELHOR


Há uma diferença enorme entre "fazer com" e "fazer para". Mas - no processo de educação - nem sempre esse princípio é lembrado por educadores e educandos.
'Fazer com" pressupõe a interdependência, a participação, a cooperação. O resultado é a transformação comum, a libertação do pensamento, a emancipação do comportamento.  Estão na base desse princípio pedagógico os ensinamentos de Paulo Freire, um dos maiores pedagogos brasileiros.
Mas nós somos condicionados pelo método do "fazer para". É mais confortável. Tem entrega pronta. Receita de bolo. Se não der resultado, houve déficit de quem ensinou ou de quem aprendeu. Tem mocinhos e bandidos. Vítimas e vilões.

Novas escolhas precisam de novas motivações


A característica que definitivamente distingue o ser humano é sua capacidade diferenciada de ensinar e aprender. Portanto há que se buscar esse estímulo à adoção da metodologia mais efetiva para se conquistar melhores níveis de consciência. O amadurecimento da sociedade preconizado pelos professores Eduardo Gianetti e Gil Giardelli deve ser perseguido por educadores e educandos que buscam experienciar a cidadania do século 21.

É um compromisso com uma sociedade melhor. Dá trabalho, exige perseverança e entusiasmo, mas é o processo que oferece resultados prevalentes. Claro, o melhor é que esse posicionamento seja sempre uma prerrogativa das lideranças, mas todos nós podemos assumir individualmente esse compromisso. Fato: o mundo muda quando nós mesmos decidimos mudar. Para finalizar, nesta sexta-feira, um pouco da lição de liberdade de Tim Maia: "Não precisa de dinheiro pra se ouvir meu canto. Eu sou Canário do Reino e canto em qualquer lugar. Em qualquer rua de qualquer cidade. Em qualquer praça de qualquer país. Levo meu canto puro e verdadeiro, eu quero que o mundo inteiro se sinta feliz!".

Nenhum comentário:

Postar um comentário